Voltando Pra Casa e às Voltas Com Meus Pensamentos

20180129_074315

Lá fora tudo passa velozmente. As árvores vão ficando pra trás. Meu pensamento acelera. Parece que foi ontem… Nem sei se era noite ou dia… se chovia ou fazia calor. Aqui dentro me perco em tantos pensamentos. De novo,  olho pela janela. Carros vêm em sentido contrário. Os malucos do asfalto colocam em prática suas idiotices, colocando em risco vidas alheias. Volto pra dentro de mim e não encontro nada, senão meus pensamentos ainda embaralhados. Quem sabe rola aquela peça de teatro, o evento no Viaduto das Artes ou aquele vinho que inesperadamente ela cismou de querer tomar… No asfalto os idiotas continuam com suas maluquices, alheios às vidas que carregam dentro de seus carros. Na prática, nada parecem temer. Temo pela tremenda teimosia dos idiotas. Já não sei se minha atenção fica na tensão do asfalto ou se volta para a intensa agitação dos meus pensamentos que seguem acelerados… Mais acelerados que os carros dos malucos idiotas do asfalto. Pra que tanta pressa? Pergunta meu coração; para os idiotas do asfalto e para meus pensamentos que insistem em não parar.

Anúncios

Mudanças

20180125_003553

De repente, partir.

Quando mais nada parece fazer sentido.
Quando de súbito, sentir que sorrir já não é tão fácil.
Quando a indiferença grita e as diferenças afloram,
o melhor a fazer é simplesmente ir.
De repente, chorar.
Porque nem todo choro é tristeza,
assim como nem todo fim é a morte.
Às vezes o choro é alívio.
O fim, possibilidade de recomeço.
De repente, recomeçar.
A vida é efêmera mas sempre há de haver esperança.
Não há tempo pra perda de tempo.
Quem vive na dúvida, sem dúvida dança.
Melhor procurar outro par que outra música logo começa.
De repente, voltar a sorrir.
Aprendi com o sol. Tantas vezes morre, outras tantas volta a brilhar.
Os dias se vão e há sempre um novo nascendo.
Os que foram são minha escola.
Os que nascem são meu PRESENTE.