Amor e Poesia

IMG-20160714-WA0001

Assim é a vida: Demorei muitos anos para descobrir que sempre amei de uma forma que muitos simplesmente não consideram amor. Descobri também que muitas pessoas me amaram, mas o fizeram de uma maneira que com  tempo o amor foi perdendo o viço, mas o amor estava ali permeando nossas relações. Mas a minha mais importante descoberta é que o amor, tanto o “meu”, quanto o “dos outros” é gratuito, não tem nenhum custo e não precisa ser dividido entre as pessoas, pelo contrário, quanto mais “distribuído”, ele só faz multiplicar. E sendo assim, não exigindo de nós nada em troca, tanto o “meu” amor, quanto o amor dos “outros” e todo o amor do universo não nos custaram absolutamente nada e certamente nos fizeram pessoas melhores.

Anúncios

E Com o Tempo…

IMG-20160823-WA0007E com o tempo a gente descobre, entre outras coisas que não podemos obrigar ninguém a nos amar, mas descobrimos que é perfeitamente possível nos tornarmos pessoas mais fáceis de serem amadas. Com o tempo descobrimos que devemos valorizar quem se dispõe a assistir conosco um belo pôr do sol, mas acima de tudo a valorizar a quem tem disposição de sair cedo da cama para, ao nosso lado, ver o raiar de um novo dia. Com o tempo descobrimos a alegria de ter alguém nos acompanhando em nossas atividades físicas esporádicas, mas depois percebemos que é ainda mais belo ter alguém que se propõe a caminhar diariamente lado a lado conosco. Aprendemos que sofrer por perder algo que nunca foi verdadeiramente nosso é a forma mais grotesca de autoflagelo. Com o tempo aprendemos que devemos ser fortes para enfrentarmos nossas batalhas diárias, mas aprendemos, principalmente, que na brandura conseguimos resultados ainda melhores que na força. Aprendemos a não julgar as pessoas como fracas ou insensíveis, pois não sabemos o tamanho da dor que elas carregam dentro do peito. Com o tempo aprendemos que ter paz é melhor que ter razão. Aprendemos a ver a beleza no sorriso de uma criança, pois ali residem a pureza e a espontaneidade. Com o tempo aprendemos que não devemos esperar muito dos outros e a estar preparados para ouvir muitos nãos sem achar que isso será o fim do mundo. Descobrimos que ter fé é bem mais que acreditar em um novo amanhã. É ter a certeza de que ele pode ser melhor e que podemos e devemos fazer muito para que ele seja de fato melhor. Com o tempo aprendemos que a melhor forma de agradecer a Deus por um novo dia é vivê-lo em sua plenitude e reclamar menos. Aprendemos que quase sempre é menos complicado plantar nosso próprio jardim do que esperar que alguém nos traga flores. Com o tempo aprendemos que certos sofrimentos não passam de perda de tempo. O mundo não irá parar para que nossas feridas se cicatrizem, e apesar delas, devemos seguir adiante. Aprendemos que saudade nada mais é do que a presença de quem já não está conosco. Com o tempo descobrimos que as pessoas que mais precisam de amor e carinho são as que mais teremos dificuldade em dedicarmos cuidado e afeto, mas aprendemos também que não podemos desistir delas tão facilmente. Com o tempo aprendemos porque as pessoas mentem. É que descobrimos que poucos estão preparados para ouvir certas verdades. Com o tempo descobrimos que amar dói invariavelmente, mas descobrimos também que sem amor nada tem sentido.

Um Ano “Sem Ele”

 

IMG-20160801-WA0050-1Um ano se passou, mas parece que foi ontem. As ótimas lembranças permanecem como se ele estivesse aqui. E são tão boas as lembranças que às vezes penso que ele nunca se foi. Confesso que aquele foi um dia meio estranho, talvez o mais estranho de minha existência. “Perder” um ente querido não é muito fácil de ser assimilado. Acho que nunca estaremos preparados para isso. Mesmo sabendo que a morte é a única certeza que temos na vida, ela parece querer sempre nos pegar de surpresa. Comigo não foi diferente. A morte do meu pai chegou de maneira surpreendente e por isso nunca havia pensado minha vida sem a presença dele. Como fui pego de surpresa precisaria com urgência, fazer novos planos. Minha vida seguiria desde então sem ele. Foi pensando nisso que comecei a buscar em minhas lembranças, todos os ensinamentos que ele deixou para poder segui-los. E não foram poucas as lições… Não vem ao caso relatar aqui suas inúmeras qualidades, mas quem conviveu com ele sabe bem que não é exagero dizer que na verdade se tratava de um Homem impecável. Para mim, suas boas lembranças o manterão eternamente vivo. A saudade é latente, mas ela transborda em meu peito. Por mais que pareça estranho, a dor não existe. Seu espaço é totalmente ocupado pelo amor e pela gratidão de tê-lo tido como PAI. Lágrimas, até acontecem, sobretudo, quando me atrevo a escrever-lhe alguma homenagem. Acredito até que elas servem para retirar de mim qualquer sentimento ruim que eu possa ter sobre a sua partida inesperada. Penso que seria muito egoísmo e não seria justo com Deus questionar o porquê de tê-lo levado para junto de si. Pelo contrário, prefiro agradecer a ele o privilégio dessa convivência e tudo que pude aprender com ela. A vida segue e continuará seguindo até que se faça o reencontro. Até lá, o plano é pelo menos merecer ser chamado de seu filho, o que convenhamos, não é tarefa das mais fáceis, e conseguir colocar em prática algo do que me foi por ele ensinado.