Com Uma Dose de Gentileza, Por Favor!!

 

GentilezaHá alguns anos Renato Russo, grande pensador contemporâneo, disse em uma de suas canções: “O mundo anda tão complicado…”. Não sei se por ser seu fã quase incondicional, mas penso que ele tinha razão. De fato, já há algum tempo o mundo anda extremamente complicado. Obviamente, ele está assim, justamente porque nós o complicamos cada vez mais. Sem querer ser pessimista, penso que estamos conseguindo complicar mais e mais a cada dia. Dentre os muitos problemas que nos cercam um que eu considero dos mais relevantes é a falta de gentileza entre as pessoas. Em tempos de tanta correria e desconfiança, simplesmente perdemos o hábito de sermos gentis. Quando digo gentileza, não estou me referindo aos “puxa saquismos” e bajulações que são bem frequentes, sobretudo, nos ambientes profissionais. Tampouco, a certos padrões de comportamentos que ultimamente têm sido rotulados como atos gentis. Sim, gentileza é algo tão escasso que há quem diga, por exemplo, que não jogar lixo em locais públicos é um ato de gentileza. Que um motorista que dá a preferência ao pedestre na faixa a este destinada pratica um ato gentil. Que respeitar vagas e/ou prioridades de deficientes ou idosos são atos de pessoas gentis. Fazer aquilo que por lei ou por norma já lhe é imposto não faz uma pessoa gentil. Praticar gentileza se caracteriza por fazer algo NÃO OBRIGATÓRIO e de maneira espontânea. Gestos de gentileza não precisam necessariamente ser gestos excepcionais ou extravagantes. Podem ser gestos simples como distribuir sorrisos por onde passamos; desejar bom dia; mandar uma mensagem carinhosa eventualmente e lembrar às pessoas que elas são importantes pra você; cumprimentar a quem encontrarmos; oferecer carona; oferecer ajuda quando o outro estiver em situações mais difíceis (oferecer-se para carregar sacolas e embrulhos, por exemplo); Ajudar idosos, deficientes ou pessoas com mobilidade reduzida a atravessar a rua; visitar asilos e orfanatos; oferecer pequenos presentes ou mimos fora de ocasiões especiais. São gestos que, justamente por não serem exigidos de ninguém, torna quem os pratica, pessoas diferenciadas. São atitudes nobres, exatamente por serem simples e gratuitas. Ahhhhh!!! Conceder ao outro o direito de ser gentil também não deixa de ser um ato de gentileza. Portanto, desarme-se… Se, porventura, uma pessoa te convida pra almoçar; pra ir ao cinema ou simplesmente tenta iniciar uma conversa; se lhe ofereceu ajuda; se lhe cumprimenta e lhe sorri com frequência, pode ser que ela queira apenas ser gentil. Não faça julgamentos precipitados e “pague” pra ver. Não contribua para construirmos um mundo tão complicado. Uma dose de gentileza, por favor!!!!

Anúncios