Só o amor constrói

amor

Há alguns dias um grande e sábio amigo me chamou atenção pra uma pequena frase. Uma frase simples composta por apenas e tão somente quinze letras e quatro palavras. Frase simples, porém, mágica. Confesso que, embora já a tenha lido estampada nos mais diversos lugares, jamais parei para pensar na amplidão e principalmente, na profundidade do significado de uma frase tão contundente. “Só o amor constrói”… À primeira vista nos parece uma frase sem qualquer conteúdo e pouco pretensiosa e por esta razão, até nem me culpei tanto por tê-la deixado passar despercebida durante todos esses anos, embora tenha lamentado o fato de nem sempre nos atentarmos para grandes ensinamentos que nos são oferecidos e por pura desatenção não tiramos deles as lições necessárias. Desde aquele dia, porém, não consigo deixar de refletir sobre o tema, e a cada reflexão que faço mais me convenço de que o amor é mesmo a base de todas as coisas, e somente por meio dele, podemos construir algo verdadeiramente grande e sólido. Não pretendo aqui discutir o que vem a ser o amor, até porque ele possui nuances diversas e cada um tem suas definições segundo suas próprias convicções. O intuito é tentar mostrar que precisamos nos desapegar de valores que não sejam essenciais. Precisamos colocar sentimentos verdadeiros em todas as nossas ações. De fazer nossas tarefas cotidianas, sejam elas quais forem com a emoção necessária de quem as faz somente por amor. Pensando nessa frase é que conclui que nossas relações sociais não devem ser por meros interesses pessoais ou de trocas materiais, elas devem ser permeadas de amor, caso contrário, serão apenas relações frágeis e efêmeras e sucumbirão com facilidade. Tarefas simples e cotidianas seriam transformadas profundamente se forem feitas com amor. Construir um jardim é uma tarefa extremamente fácil, mas somente se houver amor no nosso trato com as plantas elas produzirão flores capazes de atrair as borboletas e os beija flores. Fazer o bem pura e simplesmente qualquer pessoa faz, mesmo que apenas eventualmente. Mas somente, aquele que o faz pelo simples ato de fazê-lo sem esperar nenhuma recompensa em troca o estará fazendo com amor e somente assim as ações serão verdadeiramente importantes. Nosso trabalho não deve ser apenas aquilo que fazemos em troca de um salário ao final do mês. O dinheiro é importante e necessário para satisfazer as necessidades do nosso corpo e nos dar energia pra continuarmos trabalhando, mas a verdadeira energia que produzirá um resultado realmente diferenciado não pode ser outra senão o amor, pois ele é a energia da alma. O amor é a própria energia que diferencia uma pessoa comum das pessoas bem sucedidas e bem resolvidas emocionalmente. Portanto, se queres que suas ações sejam realmente valiosas, dedique a elas uma dose generosa de amor. Se queres ser uma pessoa vitoriosa, busque objetivos de vida e concentre a maior parte dessa energia em função deles, e principalmente não se esqueça jamais de que o amor deve estar presente em cada uma de suas ações, porque afinal de contas, só o amor constrói.

 

Anúncios

Um dia daqueles!

Um dia

Tem dias em que o mundo parece conspirar contra seu bem estar. São aqueles dias em que você não deveria se propor a fazer coisa alguma. Deveria simplesmente conceder-lhe o direito à ociosidade e não se atrever a colocar os pés fora de casa. Parece que a noite que passou não cumpriu adequadamente seu papel de enterrar tudo aquilo que ficou na sua caixa de entrada no dia anterior e te fazer um homem novo ao amanhecer. A noite perde a razão de existir quando não consegue nos fazer renascer livres das angustias do dia anterior. Sua intuição lhe diz isso desde o momento em que você abre os olhos pela manhã. Você tem certeza de que algo está errado e que você não está apto a encarar mais um dia inteiro a não ser que este seja dedicado exclusivamente ao ócio. Você sabe disso, mas os compromissos cotidianos não lhe permitem entregar-se a tal prazer, e lá vai você cumprir o destino que lhe está reservado para aquele dia: Estressar-se, aborrecer-se com tudo e com todos, e torcer para que tudo aquilo de ruim que se anuncia ocorra da maneira mais suave quanto seja possível, porque a impressão que se tem é de que o mundo lhe cairá na cabeça a qualquer momento. Mas que bom que temos pessoas super poderosas em nossas vidas. Um dia como esse não poderia ser somente um dia ruim. Em dias assim, essas pessoas lhe mostrarão o porquê de existirem, elas não irão lhe faltar. Com certeza essas pessoas irão cumprir a função que lhes foram dadas, sabe-se lá por quem. O fato é que, definitivamente, essas pessoas não perderão a oportunidade de lhe mostrar porque fazem parte da sua vida, mesmo que você jamais entenda porque elas foram colocadas em seu caminho. São aquelas pessoas que existem em sua vida somente para te atazanar, te irritar, te aborrecer, pisar no seu calo onde ele mais te incomoda. Justamente nesses dias é que essas pessoas irão mostrar o propósito para o qual existem. Elas foram colocadas em sua vida exatamente para testarem a sua paciência. Para provarem que você é, de fato, um ser iluminado e em constante evolução. Mesmo em um dia repleto de problemas. Mesmo em um dia em que nada daria certo, elas aparecerão, farão o diabo para piorar ainda mais o que já parece horrível e ainda assim, você chegará ao fim do dia inabalado. Mesmo que fisicamente esgotado, você terá a certeza de que a vida é mesmo um milagre quando você está disposto a se construir como ser espiritual que somos. Ah que maravilha poder chegar em casa ao final de um dia como este e ter a sensação de ter saído ileso de uma verdadeira guerra. De ter a certeza de que o dia de amanhã lhe reservará coisas novas e agradáveis. De ter a sabedoria de que pessoas eternamente mesquinhas são colocadas na sua vida de maneira precisa e necessária, justamente para te fazer crescer e desenvolver em você a virtude do perdão. Sempre que esse tipo de pessoa aparecer em sua vida, agradeça. Prefira o perdão, ao aborrecimento.

O espelho e o tempo

espelhoespelho

Dia desses me flagrei olhando-me detidamente no espelho. A imagem ali refletida me mostrou bem mais do que eu gostaria de ver. Um curto momento de contemplação e ali estavam as marcas provocadas pelo passar dos anos. Aquele rosto jovial de outrora já não se fazia presente, a não ser que eu o buscasse em minhas lembranças e em tempos que já se foram. Tempos que já se foram… Tempos que não retornam mais… E como o tempo é implacável… Ninguém se mantém incólume aos muitos anos vividos. Verdadeiramente nenhum de nós envelhecerá impunemente. As marcas do tempo estão ali estampadas em meu rosto e não me deixam enganar. Os claros sinais da inexorabilidade da vida estão ali refletidos naquele espelho. Tantos cuidados, tantas farras perdidas por uma boa noite de descanso… Tantos prazeres não vividos porque precisava cuidar da saúde… Tanta vaidade por absolutamente nada. Naquele momento tive a convicção de que tudo sucumbe frente ao tempo que passa despretensiosamente. Junto com ele, aos poucos, e sem que percebamos, nós também vamos embora lentamente. Observando nossa imagem no espelho percebemos que hoje somos um mero arremedo do que éramos há alguns anos. Recolho-me no sofá da sala e coloco-me a interpelar o tempo: Porque tanta voracidade? Porque tanta crueldade, roubando de mim, coisas que eu tanto prezava? Minha jovialidade… Minha beleza… Ao que ele me respondeu: Cara; lamento lhe dizer, mas se optou em cultivar as coisas naturalmente efêmeras da vida, coisas que não têm a menor importância na vida de uma pessoa e desconsiderou o que realmente importa, foi por vaidade e por pura ingenuidade. Não pode agora imputar a mim, a culpa pelo seu erro. Devo dizer, porém, que em você foram preservadas muitas qualidades sobre as quais não tenho qualquer poder. Caráter, dignidade, ética e muitas outras tão mais valiosas e marcantes que as próprias marcas deixadas em seu rosto não lhe foram tiradas. De quebra, e como compensação às coisas que lhe “roubei”, te dei uma dose generosa de experiência e sabedoria. Além disso, proporcionei encontros maravilhosos e te aproximei de pessoas excelentes e que, certamente saberão valorizar as qualidades que lhe foram preservadas, e que, de fato, são essenciais na vida de alguém. Pare de culpar-me e trate de agradecer, porque no final das contas, o saldo lhe tem sido bastante favorável. Ouvindo tais argumentos, recolhi-me à minha insignificância e olhei para os céus agradecendo cada dia passado nessa vida maravilhosa que tenho vivido e a cada pessoa que de uma forma ou de outra vem fazendo parte dela.

Sobre el fútbol y otras lecciones

fut

En el fútbol, como en la vida, muchas son las situaciones que vez u otra presiéntanse para enseñarnos alguna cosa. Son situaciones que normalmente clasificamos como inesperadas y que muchas veces juzgamos desastrosas, pero que surgen justamente para hacernos crecer. Hay que estar atentos a ellas para no perdernos la oportunidad de aprendernos las lecciones y de ellas sacar provecho. ¿Qué hacer delante de una derrota humillante? De verdad no hay nada mejor que una derrota humillante para percibirnos que nuestro equipo no es imbatible, que no somos así tan buenos, porque no deja ninguna duda de que el adversario fue mucho superior y mereció vencer. Nada más propicio para nuestro perfeccionamiento que reconocernos que no somos perfectos y tenemos que mejorar. Precisamos aprender que malos resultados ocurren, pero ni por ello el mundo acabará. La vida continua y nuevas conquistas vendrán, así como otras derrotas también podrán ocurrir. Las grandes derrotas significan mucho más que un simple nudo en la garganta. Que un sentimiento terrible de corazón herido o de una enorme sensación de impotencia. Significan oportunidades claras de crecimiento. Significan necesidades de cambios que seguirían ocultas si no fueran los tropiezos eventuales. La vitoria y la derrota son dos caras de la misma moneda y el problema no está propiamente en la derrota, sino en la manera reaccionamos a ella. Caer no es el problema, la cuestión es saber levantarse, erguir la cabeza, corregir los errores y seguir la vida con dignidad. Las derrotas hacen parte de la vida y sin ellas no tendríamos motivos para luchar. Intenta imaginar la vida solamente con vitorias, conquistas, alegrías y verás que nada haría sentido si no fueran algunos percalzos esporádicos. En los momentos de infortunios es que creamos condiciones propicias para nuestro progreso, para nuestro desarrollo emocional, para repensar proyectos, en fin, para crecernos y retomarnos el camino cierto y volvernos cada vez más fuertes, mismo sabiendo que, eventualmente, podemos ser nuevamente superados.

Ps.: Texto traduzido pela amiga Maria da Consolação Pereira. O original você encontra aqui.

Sobre futebol e outras lições

fut

No futebol, assim como na vida, muitas são as situações que vez ou outra se apresentam para nos ensinar alguma coisa. São situações que normalmente classificamos como inesperadas e que muitas vezes julgamos desastrosas mas que surgem justamente para nos fazer crescer. Precisamos estar atentos a elas para não perdemos a oportunidade de aprendermos as lições e tirarmos proveito delas. O que fazer frente a uma derrota dita humilhante? Na verdade não há nada melhor que uma derrota acachapante para percebermos que nosso time não é imbatível, que não somos assim tão bons, porque ela não deixa nenhuma dúvida de que o adversário foi muito superior e mereceu vencer. Nada mais propício para nosso aperfeiçoamento do que reconhecermos que não somos perfeitos e temos muito a melhorar. Precisamos aprender que insucessos acontecem mas que nem por isso, o mundo acabará. A vida continua e novas conquistas virão, assim como outras derrotas também poderão ocorrer. As grandes derrotas significam muito mais que um simples nó na garganta. Que um sentimento terrível de coração ferido ou de uma enorme sensação de impotência. Significam oportunidades claras de crescimento. Significam necessidades de mudanças que permaneceriam ocultas se não fossem os tropeços eventuais. A vitória e a derrota são duas faces da mesma moeda, e o problema não reside propriamente na derrota, mas sim na maneira como reagimos a ela. Cair não é o problema, a questão é saber levantar, erguer a cabeça, corrigir os erros e seguir a vida com dignidade. As derrotas fazem parte da vida e sem elas não teríamos qualquer motivo para lutarmos. Tente imaginar a vida somente com vitórias, conquistas, alegrias e perceberá que nada faria sentido não fossem alguns percalços esporádicos. Nos momentos de infortúnios é que criamos as condições propícias para nosso progresso, para nosso desenvolvimento emocional, para reavaliarmos projetos, enfim, para crescermos e retomarmos o caminho certo, e nos tornarmos cada vez mais fortes, mesmo sabendo que, eventualmente, possamos ser novamente superados.

Direccionando su propia vida

direcionando

 

De repente llega un tiempo en que tú ya no direcciona tus propios caminos. Sin que te des cuenta, tu vida acontece ajena a tu voluntad. Como un aficionado sentado en el graderío, mientras el juego se desarrolla con voracidad dentro del campo, contentas en desear que las cosas salgan de una manera al menos aceptable. Miras atrás y ni mismo logra ver desde cuando las cosas están de esa manera. Sólo sabes que ya no manoseas el timón que direcciona tu vida. Discuerdas de casi todo que ocurre alrededor, pero no tienes energías suficiente para cambiar casi nada. Tu barco navega al sabor de la marea, o peor, el timón que abandonaste fue ocupado por otras personas que, aprovechándose de tu omisión, dan a tu vida la dirección que bien quieren. Cierto día de, oí decir que nuestra vida es como un gran teatro. No hay nada más verdadero… Pero ya hace algún tiempo dejaste de ser el actor principal y optaste por sentarte en la platea, mientras el gran espectáculo ocurre. No perca más tiempo sintiéndote feliz apenas en ver la vida acontecer. Entra en campo… suba en el gran palco… tu equipo puede hasta perder de goleada o el enredo de tu película puede ser un tanto extraño y sin sentido, pero no puedes abdicar al derecho de jugar el juego o escribir el guión de tu vida según tus convicciones. La decisión es solamente tuya y de nadie más .

 

Ditadura da Felicidade

felicidaePudéssemos decifrar o que se passa na mente das pessoas, certamente ficaríamos surpresos com o que nos seria revelado. Como não temos essa prerrogativa, mantemo-nos apenas no plano da imaginação e deixemos que as especulações escorram em nosso pensamento. Estamos nós vivendo sob o regime ditatorial da felicidade? O motivo da minha indagação nasceu da conversa descontraída que tive com uma amiga há alguns dias. Esta questão já me intrigava há algum tempo e nossa conversa só me fez perceber que não estava sozinho em minhas ruminanças. Pois bem, mas o que vem a ser esse tal regime? O que seria a ditadura da felicidade? O fato é que vivemos um tempo em que as pessoas têm exigido muito delas mesmas. Não se permitem falhar. A ordem do dia é se mostrar feliz, ainda que o coração esteja em pedaços. Mesmo que a dor seja quase insuportável, é preciso estampar um sorriso no rosto e não basta… É necessário mais… Todos precisam saber que sua vida está a mil por hora e que seu mundo é pura felicidade. As redes sociais são uma boa prova disso. Praticamente todos já amanhecem tão felizes e satisfeitos com a vida, que me pergunto se tudo isto é mesmo real ou se estas pessoas não estão vivendo no mundo da fantasia. Mesmo que esta prática seja inocente e despretensiosa, o resultado de tamanha insensatez é que isso está provocando uma onda de adoecimento, talvez sem precedentes na história da humanidade. Os mais incautos, que não têm o discernimento e a compreensão de que se trata de situações irreais, acabam entrando em parafuso. Eles não conseguem compreender como podem ser infelizes em meio a um mundo cor de rosa, onde todos estão sempre alegres e consequentemente mergulham naquele que talvez seja o grande mal do século: A depressão. O problema não acaba por aí. Os novos deprimidos também não podem ficar de fora da onda. Eles também são filhos de Deus e também precisam mostrar ao mundo que estão bem, que estão felizes e lá se vão para as redes sociais ou para a ilha da fantasia, como queiram. Está estabelecido o efeito dominó… Está decretado o regime ditatorial da felicidade. Sob tal regime é proibido sermos pessoas normais, com os problemas normais de qualquer ser humano que ainda somos. Proibido difundirmos nossas tristezas e nossas mazelas. De demonstrarmos nossas fraquezas e nossas melancolias. Não pretendo com essas palavras, declarar guerra àqueles que estão verdadeiramente felizes e esbanjam seus belos sorrisos nas redes sociais, tampouco, proclamar a república da infelicidade. Mas, sinceramente, penso que seria mais saudável se as pessoas fossem mais autênticas e demonstrassem aquilo que, de fato são, e não o que elas gostariam que fossem, ou pior, o que os outros querem que elas sejam.